terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Uma mala em cada mão e um nó na garganta, assim ela estava deixando aquele que fora seu lar durante 12 anos.

Apenas uma porta a separava do universo de lembranças e as infinitas possibilidades do mundo.

Sem dúvidas ela foi andando e cada passo aquela vida ia se afastando e o inesperado se aproximava. Uma sensação de liberdade e vazio a invadiu, não sabia bem o que estava sentindo, mas sabia intuitivamente que seria melhor assim.

Deixou tudo, saiu somente levando suas roupas, queria começar do zero, renascer.

Não foi traição como muitos especulavam, foi meramente um ato de coragem de assumir que manter uma relação por comodismo não estava satisfazendo sua alma. Ela queria mais.

Antes de deixá-lo, olhou ao redor e pensou nos momentos felizes que viveram ali, suspirou com leveza e encarou-o como quem desejava comunicar-se com o que havia além daqueles olhos e falou baixinho: eu te amo e te liberto.Imediatamente as mesmas palavras retornaram como eco. Permaneceram abraçados por alguns minutos e enfim romperam o cordão invisível do apego.

18 comentários:

André Poerschke Vieira disse...

que belo texto. E é uma história que pode se adequar a muitas fases da vida. Parabéns.

Lucas disse...

Chegamos numa etapa da vida que temos que deixar aquilo que um dia fora a principal razão de viver...
Ótimo texto e parabéns pelo blog!
Faloows
Por:http://quaddronegro.blogspot.com/

Macaco Pipi disse...

passamos por isso
muito bem relatado!

Nina Aubasi disse...

LINDO,LINDO,LINDO!

LADY D. A. disse...

Muito bom, mas nem todas tem essa coragem...

Jeh Pagliai disse...

Que triste, uma separação assim, principalmente se amando o outro, custa tanto...

Beijinhos

---
www.jehjeh.com

Clube do Filme disse...

Quem já passou por algo parecido sabe o quanto é dificil.. Bem escrito!!

Zélio Marulo Jr. disse...

O amor só é realmente amor quando se é livre para ir ou se assim preferir ficar.

Belo texto.

Grande Abraço.
Bons Ventos.

www.bloginoportuno.blogspot.com

Karla Hack dos Santos disse...

tem horas que o seguir é inevitável...
Temos que ir!

Muito bem retratado!


;D

Victor disse...

Ótimo texto, Débora. Como a Lady D.A. comentou, nem todas tem a coragem de seguir para frente depois de serem traídas pelos companheiros que amam.

[]'s
blog.avoado.com

Débora disse...

Obrigada pelos comentários, mas na verdade ela não foi traída, a coragem vem assumir que a relação está sem vida e apenas o comodismo os une.

Lillo Dogmez, o licantropo. disse...

Axho que meus laços de apego andam muito fracos, pois já passei por isso muitas vezes. Os primeiros laços são fortes. Mas depois de um tempo eles ficam frágeis e se partem com muita facilidade. Belo texto. Leia-me também: http://thebigdogtales.blogspot.com/2011/01/memorias-de-um-brinquedo.html

Arianne Carla disse...

Incrivelmente intenso. Muito bom! Coisas assim tendem acontecer em nossas vidas.
Boa tarde e obrigada pela visita.

Maria disse...

hehe mt legal ^^

trollagemvirtual.blogspot.com

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

Quem dera a maioria das histórias fosse assim.. infelizmente só escuto ofensas, puxões de cabelo e agreções... Não nescessáriamente nessa ordem...

William disse...

Mudanças. A vida é assim. É preciso arriscar e deixar para trás lembranças e seguir em frente.
Sucesso pra ti.

Nivaldo Gomes Filho disse...

adorei o texto parabens que o senhor te abençoe cada dia mas...

naiade rodriguez silveira disse...

Muito bom o blog,parabéns !